Confira como abrir uma empresa em 11 passos

Abrir uma empresa e cuidar do próprio negócio é o sonho de muita gente. Segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 31,7% das pessoas têm essa aspiração. E a verdade é que empreender pode ser muito satisfatório e trazer excelentes retornos financeiros!

Mas, para isso, é preciso fazer tudo de forma planejada e com o apoio de profissionais experientes. O primeiro passo rumo ao sucesso é a abertura da empresa. Desde esses primeiros momentos, você deve seguir a legislação e fazer tudo da melhor maneira possível — isso vai evitar dores de cabeça no futuro e garantir que o seu negócio está começando com o pé direito.

Abrir uma empresa não é um processo tão simples, mas não é um bicho de sete cabeças. Com algum conhecimento e a ajuda de uma empresa de contabilidade de confiança, você vai tirar de letra!

  1. Quanto custa abrir uma empresa
  2. Quanto tempo leva para abrir uma empresa
  3. Passo a passo para abrir uma empresa com tranquilidade

Quanto custa abrir uma empresa?

O custo para abrir uma empresa depende de uma série de fatores, sendo o principal deles os valores cobrados por diferentes órgãos públicos em diferentes cidades. Por isso, não podemos deixar aqui um valor exato.

A depender da região em que a sua empresa vai funcionar e do tipo de atividade que vai ser exercida, diferentes taxas serão aplicadas e o processo também pode variar um pouco.

É normal que os empreendedores queiram saber o valor a ser gasto na hora de abrir uma empresa – e isso é o correto, afinal, o planejamento financeiro é fundamental para o sucesso de um negócio.

Por isso, a nossa dica é que você faça uma pesquisa na sua cidade e considere esse custo no seu orçamento.

E se você nem sabe por onde começar essa pesquisa, não se preocupe. Aqui neste artigo você vai encontrar um passo a passo completo para abrir uma empresa e saber exatamente quais órgãos procurar para fazer o seu levantamento!

Quanto tempo leva para abrir uma empresa?

O tempo de abertura de uma empresa varia conforme a cidade em que ela estará. Isso porque os processos são diferentes para cada município, assim como os prazos dados pelos órgãos envolvidos no processo.

Porém, em média, você vai precisar de 30 a 50 dias para abrir uma empresa.

Passo a passo para abrir uma empresa com tranquilidade

Agora você vai entender de uma vez por todas quais são os passos necessários para abrir uma empresa no Brasil. Como falamos, prazos e valores podem variar de acordo com a região, mas o passo a passo é sempre o mesmo, independente de onde você esteja.

Vamos lá?

1.Elabore Plano de Negócio

Antes de começar os processos de abertura de empresa, é importante que você tenha um Plano de Negócio. Ele é um documento que vai guiar você ao longo de toda a sua jornada, descrevendo os objetivos da empresa e as ações necessárias para alcançá-los.

Um bom plano de negócios deve ter uma análise completa do mercado e dos seus concorrentes, além de um estudo detalhado sobre o público e algumas estratégias de operação desenhadas com base nessas informações.

2.Decida se vai empreender sozinho ou fazer parte de uma sociedade empresária

Existem duas formas de empreender — sozinho ou com sócios. Essa decisão deve ser tomada ainda antes de procurar os órgãos públicos, pois ela vai influenciar em muitas outras questões, como a natureza jurídica da empresa.

Para tomar essa decisão, pense nos seus objetivos de vida e no seu perfil empreendedor. Você prefere trabalhar sozinho ou em equipe? Sente que tem todas as habilidades e conhecimentos necessários para gerenciar uma empresa? Como costuma ser a sua relação com as pessoas em ambientes de trabalho?

As respostas para essas perguntas podem ajudar você a chegar a uma conclusão!

3.Contrate uma contabilidade ágil e transparente

Para abrir uma empresa, você vai precisar contar com o auxílio de um contador. Isso acontece porque muitos documentos que fazem parte desse processo precisam estar assinados por contadores cadastrados no Conselho Federal de Contabilidade (CFC) para que sejam válidos.

No entanto, as vantagens de contar com esse apoio vão muito além do cumprimento de uma obrigação. O contador é o profissional ideal para te ajudar a tomar as melhores decisões sobre a natureza jurídica e regime tributário da sua empresa. 

E além disso, ele já conhece todos os passos para a formalização de um negócio, garantindo um processo mais ágil, seguro e sem erros.

4.Defina o porte da empresa

O porte de uma empresa pode variar de acordo com a quantidade de funcionários que se pretende ter. Saiba mais sobre cada uma das classificações!

MEI

MEI, ou Microempreendedor Individual, é um modelo que permite a contratação de apenas um funcionário ganhando um salário-mínimo ou o piso da categoria. A baixa carga tributária é a sua principal vantagem, mas esse tipo de empresa traz algumas limitações.

Uma delas é o faturamento, que não deve passar de R$ 81 mil por ano. Além disso, o MEI não está disponível para todas as atividades, somente para aquelas de natureza comum, ou seja, que não exigem formação específica.

ME

A Microempresa (ME) pode ser uma sociedade e ter até 9 funcionários no comércio e prestação de serviços e 19 funcionários na indústria. O seu faturamento pode ser de até R$ 360 mil por ano.

EPP

Já a Empresa de Pequeno Porte (EPP), pode faturar até R$ 4,8 milhões por ano e ter até 49 funcionários para comércio e  serviço e 99 funcionários na indústria. 

5.Defina a natureza jurídica mais adequada às suas necessidades

O próximo passo para abrir uma empresa é a definição da natureza jurídica, ou seja, do tipo de empresa.Conheça as principais opções!

Empresa individual (EI)

Nesta opção, você não pode ter sócios. Uma das principais características da EI é que os bens da empresa se misturam com os bens pessoais do seu dono, o que quer dizer que o seu patrimônio pessoal pode  ficar comprometido em casos de dívidas da empresa. Por outro lado, não há exigência de capital social mínimo para abrir o CNPJ, ou seja, você não precisa fazer grandes investimentos.

Sociedade Limitada Unipessoal (SLU)

A SLU é o modelo mais vantajoso para quem empreende individualmente, pois neste tipo o patrimônio pessoal não se mistura com o da empresa e está salvo em casos de dívidas com o CNPJ. Além disso, não é exigido capital social mínimo e as profissões regulamentadas podem abrir empresas deste tipo, o que nem sempre acontece com a EI.

Sociedade Limitada

Este é o modelo societário mais comum no Brasil. A LTDA é formada por dois ou mais sócios que contribuem com dinheiro ou bens para a formação do capital social. As suas responsabilidades são restritas ao valor do capital social e não há exigência e valor mínimo.

6.Escolha os CNAEs da empresa

O CNAE é um código que identifica quais são as atividades exercidas por uma empresa. Cada atividade tem o seu código específico, com 7 dígitos. Os CNAEs de uma empresa, portanto, indicam quais atividades ela exerce .

A escolha do CNAE é importante para a tributação das atividades, pois cada código tem uma tributação diferente. para fazer escolhas inteligentes, conte com o apoio de um contador de confiança!

abrir uma empresa

7.Escolha o Regime tributário mais vantajoso

Este é mais um ponto em que o apoio de um contador é fundamental. O regime tributário da empresa estabelece o sistema de cobrança de impostos e a sua escolha vai influenciar diretamente nas contas do negócio. Conheça os principais!

Simples Nacional 

O Simples Nacional é um programa muito vantajoso para empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano. A sua principal característica é a arrecadação simplificada, na qual a empresa paga todos os seus impostos em uma única guia.


As alíquotas variam de acordo com os CNAEs — cada um dos códigos está inserido em uma categoria do Simples nacional que indica as alíquotas para cada faixa de faturamento, começando em 4%.

Lucro Presumido 

O Lucro Presumido é indicado para empresas que faturam até R$ 78 milhões por ano. O pagamento não é unificado e as alíquotas variam de 10,93% a 16,33% do faturamento.

O cálculo do valor dos impostos é feito com base em uma presunção de lucro estabelecida pela Receita Federal, de acordo com a atividade exercida pela empresa.

Lucro Real

Neste regime, todos os impostos são pagos com base no valor real do faturamento da empresa, por isso, é muito importante que todas as contas e balanços sejam feitos com exatidão. Assim como no Lucro |presumido, o pagamento também não é unificado. Empresas que faturam mais de R$ 78 milhões precisam obrigatoriamente estar enquadradas no regime de Lucro Real.

8.Elabore um contrato social

O Contrato Social funciona como uma certidão de nascimento da empresa. É lá que estão todas as informações sobre o negócio, como quem são seus sócios, qual  é o endereço da sede, quais são os deveres e responsabilidades de cada um dos sócios, qual o ramo de atuação, etc.

Toda empresa que não é MEI precisa de um Contrato Social para se registrar nos órgãos públicos. Conte com o seu contador para a elaboração do contrato da sua empresa!

Contrato social para empresa sem sócios

Empresas individuais também precisam de contrato, mas, como não dá para fazer um contrato consigo mesmo, esse documento se chama Requerimento de Empresário nesses casos. O seu objetivo é o mesmo do Contrato Social e ele traz dados pessoais do dono da empresa e informações como CNPJ, capital social, nome da empresa, endereço, data de início, atividades exercidas, etc.

Porém, diferentemente do Contrato Social, o Requerimento de Empresário é um documento padrão a ser preenchido, sem possibilidade de acrescentar ou excluir cláusulas.

9.Registre a empresa na Junta Comercial

Depois de fazer as escolhas sobre natureza jurídica e tributação e elaborar o contrato, é hora de separar os documentos para o registro na Junta Comercial do seu estado. A lista depende de cada região, mas, normalmente, são exigidos documentos pessoais dos sócios e documentos do imóvel no qual a empresa será instalada, se esse for o caso.

Além disso, podem ser solicitados documentos específicos a depender das atividades da empresa. Para um escritório de advocacia, por exemplo, será exigida a carteira da OAB dos sócios.

Com os documentos em mãos, você deve ir à Junta Comercial ou cartório para protocolar o seu pedido para abrir uma empresa. É a partir desse processo que você consegue o seu CNPJ!

10.Obtenha o Alvará de funcionamento

Para abrir alguns tipos de empresa, também é necessário ter um alvará de funcionamento. Esse documento autoriza que a empresa exerça determinadas atividades em determinados locais e é expedido, geralmente, pela Prefeitura ou outro órgão municipal. 

Em geral, empresas que funcionam em endereços residenciais não precisam de alvará de funcionamento.

11.Faça a inscrição municipal ou estadual

A inscrição é um número que identifica o contribuinte na Secretaria da Fazenda Estadual ou Municipal. É necessário ter essa identificação para que você possa manter as suas obrigações fiscais em dia!

Empresas que atuam no setor de serviços devem se inscrever no município, enquanto empresas de comércio devem fazer a inscrição estadual.

Conte com quem facilita: a Agilize!

Como você já sabe, ter um contador de confiança ao seu lado é essencial para abrir uma empresa com segurança e tranquilidade. Dessa forma, você garante que todos os passos serão compridos de maneira adequada e pode fazer as melhores escolhas sobre natureza jurídica e regime tributário.

E você pode contar conosco para isso! A Agilize  é uma contabilidade online que está sempre ao lado do empreendedor. A nossa equipe de especialistas cuida de todas as burocracias para que você possa focar no que realmente importa, que é o crescimento do seu negócio.

Você fica por dentro de tudo o que acontece pela nossa plataforma, onde as informações são disponibilizadas de forma clara e com transparência, sem palavras difíceis, para que você saiba exatamente o que está acontecendo com a sua empresa.

Isso sem falar no atendimento super atencioso que damos a cada um dos nossos clientes!

Solicite agora um orçamento e receba uma proposta personalizada para abrir a sua empresa!