A sua empresa tributa pelo Simples Nacional ou pretende escolher esse regime de tributação? Então é muito importante você conhecer direitinho quais são os anexos do Simples Nacional  e inclusive ficar por dentro das atualizações que aconteceram nos últimos anos. 

O futuro da sua micro ou pequena empresa depende da escolha do regime de tributação mais adequado. Então, se ainda não está informado sobre o assunto, trate de estudar!

Mas pera lá, antes de falarmos sobre o que mudou nas alíquotas e anexos do Simples Nacional, que tal um flashback para relembrarmos:

O que é o Simples Nacional? 

Se você caiu de paraquedas no mundo das tributações e quer conhecer esse termo contábil ou apenas gostaria de refrescar a memória, fique tranquilo porque não é nenhum bicho de sete cabeças.

O Simples Nacional é um regime tributário compartilhado que engloba arrecadações e cobranças e fiscaliza tributos de microempresas e empresas de pequeno porte. Outros exemplos de regimes tributários são o Lucro Presumido e o Lucro Real.

Ele surgiu como uma proposta para simplificar declarações e unificar impostos, daí o nome “simples” nacional, uma vez que ele realmente surgiu para simplificar muitas questões. As vantagens do Simples Nacional são inúmeras, por isso é o regime tributário queridinho.

Confira um pouco mais sobre o Simples Nacional no vídeo que fizemos sobre ele, logo abaixo:

O que são as alíquotas e os anexos do Simples Nacional

Uma alíquota é o valor que se paga por causa de determinado imposto. Esse valor pode ser percentual (exemplo: 5% do seu faturamento mensal) ou um valor fixo (exemplo: R$37 todo mês, independente do faturamento).

Para saber o valor da alíquota do Simples Nacional para a sua empresa é preciso saber em qual anexo ela se encaixa. 

Os anexos do Simples Nacional são os agrupamentos dos negócios por segmento, como áreas de atuação. Por exemplo: indústrias, serviços de reparo e manutenção, comércio etc. Os anexos influenciam diretamente na tributação que a sua empresa terá, portanto atenção!

Contador e cliente comparando os Anexos do Simples Nacional.

Agora vamos relembrar importantes modificações que aconteceram com os anexos do Simples Nacional de 2018 para cá.

O que mudou nos anexos do Simples Nacional em 2018

A partir daqui, vamos falar um pouco sobre dúvidas que muitos empreendedores e empreendedoras tiveram na época da mudança para o Novo Simples Nacional, com a nova configuração de anexos e alíquotas, que passou a valer no ano de 2018. 

Em um artigo que lançamos à época, falamos sobre as mudanças que ocorreram nos simples nacional em 2018 com maior detalhamento. Caso tenha mais interesse no tema, acesse-o clicando no título abaixo:

Novo Simples Nacional: entenda o que muda a partir de 2018

Agora, vamos direto ao ponto. Confira tudo o que você precisa saber sobre os anexos do Simples Nacional para 2021:

Como estão os anexos do Simples Nacional para 2021

Para entender como estamos atualmente, queremos que você entenda um pouco como era antes. Isso será imprescindível para você entender como funciona hoje em dia e quanto a sua empresa precisará pagar em 2021.

Nesse sentido, antigamente eram 6 anexos do Simples Nacional (as tabelas de atividades e segmentos), que entraram em vigência em 01/01/2012 e vigoraram apenas até 31/12/ 2017. Portanto, eram eles:

  • Anexo I do Simples Nacional Antigo – Atividades do Comércio
  • Anexo II do Simples Nacional Antigo – Atividades da Indústria
  • Anexo III, IV, V e VI do Simples Nacional Antigo – Prestadores de Serviço

Cada um desses anexos do Simples Nacional possuía 20 faixas de taxa de impostos diferentes (ou alíquotas, portanto, o percentual dos impostos), que dependiam da receita bruta acumulada nos últimos 12 meses!

Por exemplo, confira abaixo a tabela de serviços do anexo III, que valeu até o final de dezembro de 2017. Perceba que empresas maiores pagam um percentual (uma alíquota) maior do que as empresas menores:

Receita Bruta em 12 meses (em R$)AlíquotaIRPJCSLLCofinsPISCPPISS
Até 180.000,006,00%0,00%0,00%0,00%0,00%4,00%2,00%
De 180.000,01 a 360.000,008,21%0,00%0,00%1,42%0,00%4,00%2,79%
De 360.000,01 a 540.000,0010,26%0,48%0,43%1,43%0,35%4,07%3,50%
De 540.000,01 a 720.000,0011,31%0,53%0,53%1,56%0,38%4,47%3,84%
De 720.000,01 a 900.000,0011,40 %0,53%0,52%1,58%0,38%4,52%3,87%
De 900.000,01 a 1.080.000,0012,42%0,57%0,57%1,73%0,40%4,92%4,23%
De 1.080.000,01 a 1.260.000,0012,54%0,59%0,56%1,74%0,42%4,97%4,26%
De 1.260.000,01 a 1.440.000,0012,68%0,59%0,57%1,76%0,42%5,03%4,31%
De 1.440.000,01 a 1.620.000,0013,55%0,63%0,61%1,88%0,45%5,37%4,61%
De 1.620.000,01 a 1.800.000,0013,68%0,63%0,64%1,89%0,45%5,42%4,65%
De 1.800.000,01 a 1.980.000,0014,93%0,69%0,69%2,07%0,50%5,98%5,00%
De 1.980.000,01 a 2.160.000,0015,06%0,69%0,69%2,09%0,50%6,09%5,00%
De 2.160.000,01 a 2.340.000,0015,20%0,71%0,70%2,10%0,50%6,19%5,00%
De 2.340.000,01 a 2.520.000,0015,35%0,71%0,70%2,13%0,51%6,30%5,00%
De 2.520.000,01 a 2.700.000,0015,48%0,72%0,70%2,15%0,51%6,40%5,00%
De 2.700.000,01 a 2.880.000,0016,85%0,78%0,76%2,34%0,56%7,41%5,00%
De 2.880.000,01 a 3.060.000,0016,98%0,78%0,78%2,36%0,56%7,50%5,00%
De 3.060.000,01 a 3.240.000,0017,13%0,80%0,79%2,37%0,57%7,60%5,00%
De 3.240.000,01 a 3.420.000,0017,27%0,80%0,79%2,40%0,57%7,71%5,00%
De 3.420.000,01 a 3.600.000,0017,42%0,81%0,79%2,42%0,57%7,83%5,00%

Em qual anexo do Simples Nacional você se encaixa atualmente?

Desde a tal mudança em 2018, passaram a existir apenas cinco anexos do Simples Nacional, com menos faixas de tributação, mas com aplicação mais complexa.  

O anexo VI foi extinto e as atividades passaram para o novo anexo V, e houve um desconto fixo específico para cada faixa de faturamento. 

Mais à frente vamos dar um exemplo de como esse desconto funciona.

Download gratuito do ebook Fluxo de Caixa, um importante passo na Inteligência Financeira.

Conheça as tabelas atualizadas com os anexos do Simples Nacional e saiba em qual a sua empresa se enquadra:

Para você se situar melhor, estamos trazendo em tópicos abaixo tanto os diferentes anexos e alguns exemplos de suas atividades, quanto também as suas tabelas com as alíquotas a serem pagas.

Anexo I do Simples Nacional – Atividades do Comércio

Estão incluídas neste anexo atividades diversas relacionada a comerciantes, lojistas e inclusive produtores que comercializam produtos. Confira exemplos: horticultura, distribuição de água por caminhões, produção de ovos, pesca de peixes em água salgada, extração de minério de alumínio, comércio a varejo de automóveis,  produção de carvão vegetal, entre outras.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaQuanto descontar do valor recolhido
Faixa 1: Até R$ 180.0000,004%0
Faixa 2: De 180.000,01 a 360.000,007,3%R$ 5.940,00
Faixa 3: De 360.000,01 a 720.000,009,5%R$ 13.860,00
Faixa 4: De 720.000,01 a 1.800.000,0010,7%R$ 22.500,00
Faixa 5: De 1.800.000,01 a 3.600.000,0014,3%R$ 87.300,00
Faixa 6: De 3.600.000,01 a 4.800.000,0019%R$ 378.000,00
FaixasPercentual de Repartição dos Tributos
 IRPJCSLLCofinsPIS/PasepCPPICMS
5,50%3,50%12,74%2,76%41,50%34,00%
5,50%3,50%12,74%2,76%41,50%34,00%
5,50%3,50%12,74%2,76%42,00%33,50%
5,50%3,50%12,74%2,76%42,00%33,50%
5,50%3,50%12,74%2,76%42,00%33,50%
13,50%10,00%28,27%6,13%42,10%

Anexo II do Simples Nacional – Atividades da Indústria

Estão incluídas neste anexo fábricas/indústrias e empresas industriais, dentre outras atividades como: beneficiamento de minérios de cobre, chumbo, zinco e outros minerais; frigoríficos; abatedouros; preservação de peixes, crustáceos e moluscos; fabricação de laticínios.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaQuanto descontar do valor recolhido
Faixa 1: Até R$ 180.0000,004,5%0
Faixa 2: De 180.000,01 a 360.000,007,8%R$ 5.940,00
Faixa 3: De 360.000,01 a 720.000,0010%R$ 13.860,00
Faixa 4: De 720.000,01 a 1.800.000,0011,2%R$ 22.500,00
Faixa 5: De 1.800.000,01 a 3.600.000,0014,7%R$ 85.500,00
Faixa 6: De 3.600.000,01 a 4.800.000,0030%R$ 720.000,00
FaixasPercentual de Repartição dos Tributos
 IRPJCSLLCofinsPIS/
Pasep
CPPIPIICMS
5,50%3,50%11,51%2,49%37,50%7,50%32,00%
5,50%3,50%11,51%2,49%37,50%7,50%32,00%
5,50%3,50%11,51%2,49%37,50%7,50%32,00%
5,50%3,50%11,51%2,49%37,50%7,50%32,00%
5,50%3,50%11,51%2,49%37,50%7,50%32,00%
8,50%7,50%20,96%4,54%23,50%35,00%

Anexo III do Simples Nacional – Atividades de Serviços

Estão incluídos serviços diversos, como acupuntura, podologia, academias, laboratórios, instalação, reparos e manutenção, agências de viagens, lotéricas, escritórios de contabilidade, dentre outros. 

A lista completa com as atividades do Anexo III do Simples Nacional está nos links: § 5º-B, § 5º-D e § 5º-F.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaQuanto descontar do valor recolhido
Faixa 1: Até R$ 180.0000,006%0
Faixa 2: De 180.000,01 a 360.000,0011,2%R$ 9.360,00
Faixa 3: De 360.000,01 a 720.000,0013,5%R$ 17.640,00
Faixa 4: De 720.000,01 a 1.800.000,0016%R$ 35.640,00
Faixa 5: De 1.800.000,01 a 3.600.000,0021%R$ 125.640,00
Faixa 6: De 3.600.000,01 a 4.800.000,0033%R$ 648.000,00
FaixasPercentual de Repartição dos Tributos
 IRPJCSLLCofinsPIS/PasepCPPISS (*)
4,00%3,50%12,82%2,78%43,40%33,50%
4,00%3,50%14,05%3,05%43,40%32,00%
4,00%3,50%13,64%2,96%43,40%32,50%
4,00%3,50%13,64%2,96%43,40%32,50%
4,00%3,50%12,82%2,78%43,40%33,50% (*veja abaixo)
35,00%15,00%16,03%3,47%30,50%
(*) O percentual efetivo máximo devido ao ISS será de 5%, transferindo-se a diferença, de forma proporcional, aos tributos federais da mesma faixa de receita bruta anual. Sendo assim, na 5ª, quando a alíquota efetiva for superior a 14,92537%, a repartição será:
 IRPJCSLLCofinsPIS/PasepCPPISS
5ª, comalíquota efetiva superior a14,92537%(Alíquota efetiva –5%) x6,02%(Alíquota efetiva –5%) x5,26%(Alíquota efetiva –5%) x19,28%(Alíquota efetiva –5%) x4,18%(Alíquota efetiva –5%) x65,26%Percentual de ISS fixo em 5%

Anexo IV do Simples Nacional – Atividades de Serviços (também!)

Aqui estão incluídas empresas diversas, que fornecem desde serviço de limpeza, vigilância, obras, construção de imóveis, serviços de pintura de edifícios em geral, perfuração e construção de poços de água, serviços advocatícios, dentre outros. 

A lista completa do Anexo IV está no link: § 5º-C.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaQuanto descontar do valor recolhido
Faixa 1: Até R$ 180.0000,004,5%0
Faixa 2: De 180.000,01 a 360.000,009%R$ 8.100,00
Faixa 3: De 360.000,01 a 720.000,0010,2%R$ 12.420,00
Faixa 4: De 720.000,01 a 1.800.000,0014%R$ 39.780,00
Faixa 5: De 1.800.000,01 a 3.600.000,0022%R$ 183.780,00
Faixa 6: De 3.600.000,01 a 4.800.000,0033%R$ 828.000,00
FaixasPercentual de Repartição dos Tributos
 IRPJCSLLCofinsPIS/PasepISS (*)
18,80%15,20%17,67%3,83%44,50%
19,80%15,20%20,55%4,45%40,00%
20,80%15,20%19,73%4,27%40,00%
17,80%19,20%18,90%4,10%40,00%
18,80%19,20%18,08%3,92%40,00% (*veja abaixo)
53,50%21,50%20,55%4,45%
(*) O percentual efetivo máximo devido ao ISS será de 5%, transferindo-se a diferença, de forma proporcional, aos tributos federais da mesma faixa de receita bruta anual. Sendo assim, na 5a, quando a alíquota efetiva for superior a 12,5%, a repartição será:
FaixaIRPJCSLLCofinsPIS/PasepISS
5ª, com alíquota efetiva superior a 12,5%Alíquota efetiva – 5%) x 31,33%(Alíquota efetiva – 5%) x 32,00%(Alíquota efetiva – 5%) x 30,13%Alíquota efetiva – 5%) x 6,54%Percentual de ISS fixo em 5%

Anexo V do Simples Nacional – Atividades de Serviços (sim, mais um!)

Neste caso, são empresas que fornecem serviço de auditoria, jornalismo, tecnologia, publicidade, engenharia, design de produto e interiores, serviços de tradução, atividades veterinárias, dentre outros (a lista completa do Anexo V está no § 5º-I do artigo 18 da Lei Complementar 123.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaQuanto descontar do valor recolhido
Faixa 1: Até R$ 180.0000,0015,5%0
Faixa 2: De 180.000,01 a 360.000,0018%R$ 4.500,00
Faixa 3: De 360.000,01 a 720.000,0019,5%R$ 9.900,00
Faixa 4: De 720.000,01 a 1.800.000,0020,5%R$ 17.100,00
Faixa 5: De 1.800.000,01 a 3.600.000,0023%R$ 62.100,00
Faixa 6: De 3.600.000,01 a 4.800.000,0030,50%R$ 540.000,00
FaixasPercentual de Repartição dos Tributos
 IRPJCSLLCofinsPIS/PasepCPPISS (*)
25,00%15,00%14,10%3,05%28,85%14,00%
23,00%15,00%14,10%3,05%27,85%17,00%
24,00%15,00%14,92%3,23%23,85%19,00%
21,00%15,00%15,74%3,41%23,85%21,00%
23,00%12,50%14,10%3,05%23,85%23,50%
35,00%15,50%16,44%3,56%29,50%

Informações importantes e atualizadas para ficar atento:

Algumas mudanças foram feitas na tributação do Simples no ano de 2018, além das alíquotas e dos anexos do Simples Nacional. Confira o que mais foi alterado de lá para cá que é importante de você ter em mente, além das obrigações do Simples Nacional

Limite de Faturamento do Simples Nacional 

A mais importante alteração aconteceu no limite de receita bruta anual. Veja como era e como está atualmente:

Faixas de Faturamento do Simples Nacional

A quantidade de faixas foi reduzida de 20 (até o ano de 2017) para 7, que estão em vigor desde 2018.

Mudança para empresas em início de atividade

Agora, para as empresas que estão iniciando suas operações, a receita bruta acumulada deve ser proporcional ao número de meses em que está em atividade.

Prazo para dívidas do Simples Nacional 

No caso dos contribuintes que possuem dívidas, atualmente é possível quitar os débitos em até 120x, contanto que o valor da parcela seja, no mínimo, de R$300,00. Então, de olho no fluxo de caixa!

Existe também uma correção pela taxa básica de juros (Selic) e 1% aplicado no mês em que for pago a parcela.

Logo mais vamos falar sobre um fator muito importante para descobrir se a sua empresa se encaixa no Anexo III ou V, o chamado “Fator R”, outra grande mudança recente. Fique de olho!

Como calcular a alíquota do Simples Nacional a pagar mensalmente

Homem calculando suas alíquotas com base nos anexos do simples nacional.

Antes de mais nada, verifique em qual dos anexos do Simples Nacional a sua empresa está enquadrada. Não sabe como? A Agilize fez um mapeamento entre os CNAEs (os códigos de cada tipo de atividade) e anexos do Simples Nacional para facilitar sua vida. Acesse: 

Tabela com as atividades do Simples Nacional

Descoberto isso, para saber o valor exato a ser pago em um determinado mês, será necessário calcular a alíquota efetiva desse mês, realizando a seguinte conta:

Multiplique a receita bruta anual total que o seu negócio obteve durante os 12 meses anteriores (Chame isso de RBT12), pela alíquota indicada na tabela correspondente a sua faixa de faturamento. 

Depois, desconte a parcela a deduzir (PD), conforme consta nas tabelas I a V que colocamos acima. 

Por fim, divida o valor final pela receita bruta acumulada nos últimos 12 meses.

Ou seja:

(RBT12*Aliq – PD)

______________________

RBT12

Para exemplificar:

Imagine que você seja designer de interiores (anexo IV – serviços) e que a sua empresa tenha faturado, em janeiro de 2021, R$ 75.000,00 (setenta e cinco mil reais) e que o faturamento acumulado nos doze meses anteriores (RBT12) tenha sido de R$ 190.000,00 (cento e noventa mil reais).

A alíquota efetiva que a sua empresa pagará sobre o faturamento de janeiro de 2021 será calculada assim:

(R$ 190.000,00 X 9%) – R$ 8.100,00

________________________________ = 4,7368%

R$ 190.000,00

Nesse caso, a alíquota é de 9% porque, de acordo com a tabela do anexo IV, é essa a alíquota para empresa de serviço que fatura anualmente entre R$ 180.000,01 e 360.000,00. 

E no nosso exemplo, o faturamento do ano foi de R$ 190.000,00.

Assim, o valor do Simples que a sua empresa terá que pagar em fevereiro será o faturamento mensal X alíquota efetiva. Assim:

R$ 75.000,00 X 4,7368% = 3.552,60

E se a sua empresa ainda não tem 12 meses de existência, faça o cálculo considerando os valores proporcionais ao período que ela existe.

Calma, isso não é mágica, é contabilidade!

E não acabou por aí. Descoberta a alíquota efetiva, ainda tem um detalhe importantíssimo que incide para quem tributa pelo anexo III ou V: o Fator R!

Vamos conhecê-lo agora.


Fator R: um detalhe importante dos anexos III e V do Simples Nacional

Pagamento do fator-R em relação aos anexos do simples nacional.

Se a sua microempresa ou empresa de pequeno porte tributa pelo anexo III ou pelo anexo V, saiba que ela pode migrar entre os anexos do Simples Nacional, a depender do faturamento dos últimos 12 meses. É o chamado Fator R! 

Ou seja, caso o seu negócio se enquadre no anexo III, no mês seguinte ele pode passar para o anexo V e vice-versa. Depende apenas do seu faturamento!

Essa oscilação vai ocorrer quando o Fator “R” (que é a relação entre folha de pagamento e faturamento dos últimos 12 meses) for maior que 28%.

Deu nó na cabeça?

Tenha fé, você irá entender!

Fator R =Folha de pagamento (últimos 12 meses)____________________________________Receita Bruta (últimos 12 meses)

Se o Fator R for igual ou superior a 28%, as atividades de prestação de serviços sujeitas à tabela do anexo V serão tributadas de acordo com o Anexo III e, assim, as alíquotas serão menores.

E quando essa razão for inferior a 28%, determinadas atividades dos anexos III serão tributadas de acordo com as alíquotas do Anexo V, pagando alíquotas maiores.

As atividades que constam nos anexos do Simples Nacional e estão sujeitas a essa situação são as seguintes:

  • arquitetura e urbanismo
  • fisioterapia
  • enfermagem e medicina, inclusive laboratorial
  • odontologia e prótese dentária
  • psicologia, psicanálise, terapia ocupacional
  • acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição e de vacinação e bancos de leite
  • administração e locação de imóveis de terceiros
  • academias de dança, de capoeira, de ioga e de artes marciais
  • academias de atividades físicas, desportivas, de natação e escolas de esportes
  • elaboração de programas de computadores, inclusive jogos eletrônicos
  • licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação
  • planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas eletrônicas
  • empresas montadoras de estandes para feiras
  • laboratórios de análises clínicas ou de patologia clínica
  • serviços de tomografia, diagnósticos médicos por imagem, registros gráficos e métodos óticos, bem como ressonância magnética
  • serviços de prótese em geral

Para encerrar… Conheça a agilize!

Diante de todas as nuances sobre os anexos do Simples Nacional, podemos levantar algumas questões:

  • Teve gente que pagou os pecados fazendo as contas da empresa? Yes.
  • Teve gente que disse que era mais fácil fazer um transplante de cérebro do que entender as novas alíquotas? Também.

Mas existe também quem simplesmente solicita a assessoria de um serviço confiável de contabilidade para dormir na paz do Senhor. 

Esperamos que você se interesse em saber como fazer parte desse grupo.

E a Agilize está sempre à disposição para te ajudar. Conte conosco para deixar a sua empresa 100% regular, para ajustar todas as suas burocracias e seus cálculos. 

Somos uma contabilidade 100% online. Existimos porque vimos na tecnologia uma grande oportunidade de automatizar processos manuais desnecessários, sendo assim, agilizamos não só a nossa vida, mas também a sua. Por isso o nome “Agilize”. 

Contratando a gente para fazer a sua contabilidade, você paga uma mensalidade super econômica (além de não pagar 13°!) e conta com um atendimento verdadeiramente prestativo, queremos te mostrar que tudo isso não precisa ser um bicho de sete cabeças.

Além do mais, a gente te oferece a maior transparência possível: acompanhe, do seu painel pessoal, todas as informações ao vivo! De qualquer dispositivo, em qualquer lugar. Assim você tem a certeza de que tudo corre bem. 

Te mandamos notificações com prazos importantes, porque sabemos como é chato ter que pagar multa por esquecimento. É normal, acontece muito. Por isso ajudamos você!

Se quiser conhecer um pouquinho mais tantos outros benefícios que podemos te proporcionar (emissão de notas fiscais, sistema financeiro gratuito e muito mais!), solicite uma proposta logo abaixo que um dos nossos contadores experts irá falar contigo.

No mais, esse conteúdo sobre alíquotas e anexos do Simples Nacional foi útil para você? Então compartilhe com quem pode se interessar também!

Escolha uma contabilidade movida por facilidades. Conheça a Agilize


Contabilidade completa – Cuidamos de todas as suas obrigações contábeis
Atendimento excelente – Telefone, chat ou e-mail
Tudo pela internet – Emita notas fiscais e acompanhe tudo no nosso aplicativo financeiro gratuito

Quero receber uma proposta

Marcos André

Marcos André

Contador e Product Owner na Agilize Contabilidade Online. Acredito nas pessoas como principais agentes de transformação para melhoria contínua de processos. O mundo exige constante inovação, e eu adoro me desafiar todos os dias!

16 comentários

Faça um Comentário

Você pode trocar de contabilidade quando quiser. Não é necessário finalizar o ano fiscal, e não tem nenhum custo.

Tem alguma dúvida sobre por que você deve contratar a Agilize? Fale com um dos nossos contadores experts:

Ligamos para você

Entraremos em contato em até 30 minutos, e você não estará assumindo nenhum compromisso com a Agilize.
(de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h)

Você considera contratar uma contabilidade online?

4 coisas que você deve considerar ao contratar uma contabilidade online:

Os preços cobrados pela contabilidade online

Você deve se proteger de empresas que não são transparentes nos preços cobrados. Na Agilize, você fica ciente de absolutamente tudo que será cobrado, sem pegadinhas, com planos a partir de R$ 99. E não cobramos a 13ª mensalidade dos nossos clientes.

Os serviços prestados pela contabilidade online

Fique atento(a) aos serviços prestados para que você não tenha surpresas no futuro. A Agilize é uma contabilidade completa, que atende empresas de prestação de serviços de qualquer lugar do Brasil.

O aplicativo financeiro e contábil

Oferecer um aplicativo de gestão financeira e contábil completo e que funcione corretamente é fundamental para que você possa focar no crescimento do seu negócio. A Agilize oferece um sistema completo, que funciona em computadores, celulares e tablets.

O atendimento é feito por contadores experts

É importante que você saiba quem está cuidando da sua empresa, e também que tenha acesso a essas pessoas. Na Agilize, você conta com um time de contadores experts acessíveis desde a contratação, sempre que precisar.