Sustentabilidade financeira: saiba o que é e como alcançar na sua empresa

sustentabilidade-financeira

Quando a gente fala em saúde financeira de um negócio, a sustentabilidade financeira é algo fundamental. Afinal, para que a empresa consiga atingir o objetivo de gerar lucro, ela precisa ter a capacidade de gerar recursos e pagar seus custos — e ainda é necessário que sobrem valores para que eles possam ser distribuídos aos sócios como forma de lucro.

Ou seja, a sustentabilidade financeira é essencial para a manutenção de um negócio!

Sem ela, dificilmente uma empresa consegue se manter ativa por muito tempo. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 48% das empresas abertas no Brasil fecham em menos de três anos por conta da má gestão financeira.

E você não quer que isso aconteça com o seu negócio, certo? Então, continue aqui neste artigo para saber mais sobre a sustentabilidade financeira e conferir as nossas dicas de como alcançá-la!

  1. O que é sustentabilidade financeira?
  2. Quais são os 4 Gs da sustentabilidade financeira?
  3. Quais os benefícios dessa prática?
  4. Como aplicar a sustentabilidade financeira no dia a dia?
  5. Como criar um plano para alcançar a sustentabilidade financeira?

O que é sustentabilidade financeira?

A sustentabilidade financeira de um negócio está ligada à sua capacidade de manter as suas finanças estáveis, gerando recursos de maneira consistente e evitando endividamentos.

Isso envolve, naturalmente, a geração de receita, gestão de gastos, construção de patrimônio e investimentos. 

Para isso, a gestão da empresa deve adotar uma postura equilibrada em relação às suas finanças, colocando em prática estratégias que garantem um fluxo contínuo de recursos ao longo do tempo.

Antes de continuar, inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro de tudo que é mais importante no mercado empreendedor.

Quais são os 4 Gs da sustentabilidade financeira?

Uma das estratégias muito utilizadas para gerenciar as finanças de uma empresa é a aplicação dos 4 Gs — cada um deles indica um passo necessário para que a sustentabilidade financeira seja alcançada.

Gerar

O primeiro G é a capacidade de gerar receita de maneira consistente. Isso envolve, claro, a realização da atividade-fim do negócio (que pode ser a venda de produtos ou prestação de serviços), mas pode envolver ainda outras fontes de geração de renda, como investimentos, por exemplo.

Gastar

Aqui estão inclusos todos os gastos necessários para a manutenção do negócio, como aluguel, contas de consumo, folha de pagamento, compras, impostos, etc.

Para a sustentabilidade financeira, é importante que a empresa tenha capacidade de pagar todos esses gastos com a sua própria receita mensal, para não prejudicar as economias.

Além disso, também é essencial que a gestão acompanhe minuciosamente esse fluxo de caixa. Assim, é possível evitar gastos desnecessários e se antecipar a possíveis problemas que possam surgir no futuro.

Guardar

A prática de guardar dinheiro envolve a criação de um fundo para situações emergenciais, imprevistos e sazonalidades. O ideal é que a empresa não precise mexer nesse fundo para as suas despesas recorrentes. Assim, esse fundo permanece sempre com o mesmo valor ou com cada vez mais dinheiro — nunca menos.

Entretanto, em situações especiais, como aconteceu com a crise gerada pela pandemia do Coronavírus, por exemplo, a empresa pode recorrer a essa reserva para se manter sustentável nesses períodos.

Ganhar

O quarto passo envolve o uso dos recursos acumulados para a geração de mais receita. É o caso de investimentos no crescimento do negócio, como a abertura de uma nova filial, contratação de uma equipe maior ou a compra de equipamentos que vão tornar o trabalho mais produtivo, por exemplo.

Quais os benefícios dessa prática?

Manter práticas sustentáveis na gestão de finanças da empresa só traz vantagens para o negócio. Conheça as principais!

Orçamento mais equilibrado

Toda empresa precisa gastar menos do que fatura para não operar no vermelho. E a sustentabilidade financeira garante justamente isso — que a empresa tenha suas contas estáveis, um fluxo de caixa controlado e um orçamento sempre equilibrado.

Menores chances de endividamento

Você sabia que o nível de endividamento das empresas no Brasil bateu recorde em 2021? Esse foi o último estudo realizado e o resultado é o maior desde que esses dados passaram a ser levantados. Segundo o Serasa Experian, 57,9% das empresas estão endividadas.

E você não gostaria de fazer parte dessa estatística, não é? Afinal, o endividamento implica no pagamento de juros, além de prejudicar a imagem do negócio.

Quem tem uma empresa financeiramente sustentável não precisa se preocupar tanto com isso. A sustentabilidade garante que o negócio tenha um fundo de reserva para quando for necessário fazer investimentos ou gerenciar imprevistos, o que diminui a necessidade de pegar empréstimos ou recorrer a outras formas de crédito.

Além disso, a sustentabilidade financeira também faz com que a empresa tenha caixa suficiente para cobrir as suas despesas recorrentes, como já falamos aqui.

Mais previsibilidade sobre o futuro

Outra vantagem da sustentabilidade financeira é a previsibilidade sobre os ganhos futuros. Com isso, a gestão consegue se planejar de forma mais organizada para lidar com imprevistos e para fazer novos investimentos.

Como aplicar a sustentabilidade financeira no dia a dia?

Agora que você já conhece as vantagens de ter uma empresa financeiramente sustentável, confira as nossas dicas para aplicar a sustentabilidade na prática!

Alinhe os objetivos financeiros com a estratégia da empresa

A gestão financeira não deve caminhar separada da gestão do negócio. Por isso, atingir a sustentabilidade deve fazer parte dos objetivos do negócio.

Dessa forma, os indicadores de desempenho sustentável são incorporados e fica mais fácil monitorar o progresso rumo às metas estabelecidas.

Gerencie riscos

Identificar e saber gerir os riscos financeiros associados ao negócio também é essencial para a sustentabilidade financeira. 

Uma abordagem proativa nesse sentido ajuda o time a prever situações adversas e a traçar planos para contorná-las caso ocorram, o que, sem dúvidas, diminui os impactos causados na saúde do negócio

Tenha uma operação eficiente

A operação eficiente é aquela que consegue fazer mais usando menos recursos. E aqui estamos falando sobre tudo o que gera gastos para a empresa, desde a contratação de mão de obra e compra de equipamentos até o uso de copos descartáveis para o cafezinho.

Seja transparente

A transparência em relação a essas práticas é essencial para que a empresa tenha a confiança do mercado e dos investidores. Por isso, não deixe de elaborar relatórios que demonstrem os impactos financeiros da operação do negócio.

Envolva o seu time

Os colaboradores fazem parte do negócio e é importante que estejam engajados na sustentabilidade financeira da empresa. Eles podem contribuir com ideias valiosas e colocar em prática ações que melhorem a eficiência da operação e reduzam custos.

Evite gastos desnecessários

Quando a gente fala em cortar gastos, não estamos falando sobre deixar de oferecer um bom café ao time ou cancelar a confraternização de final de ano. Essas ações, apesar de não estarem relacionadas à atividade-fim da empresa e não trazerem lucro diretamente,contribuem para um ambiente de trabalho mais saudável.

Mas você pode, por exemplo, trocar os copos descartáveis do cafezinho por canecas reutilizáveis. E também é possível reduzir gastos de outras formas — negociando com fornecedores, fazendo campanhas sobre o consumo consciente de água e eletricidade, permitindo que as pessoas trabalhem em home office, entre outras coisas.

Tenha um fundo de emergência

A gente já falou algumas vezes aqui sobre a importância de ter um fundo para imprevistos. Se você ainda não tem essa reserva, começar a sua construção é um dos passos mais importantes para quem está começando a caminhar em busca da sustentabilidade financeira.

O ideal é que esse fundo tenha recursos suficientes para cobrir de 6 a 18 meses de operação do negócio.

Seja rigoroso no controle financeiro

Bom, e não adianta fazer tudo isso se a sua equipe de finanças não controla rigorosamente tudo o que entra e sai do caixa da empresa. Essa tarefa, apesar de simples, é fundamental para que a gestão tenha conhecimento sobre os gastos da empresa.

Isso evita surpresas desagradáveis, ajuda a ter mais previsibilidade sobre as finanças e evita fraudes.

Como criar um plano para alcançar a sustentabilidade financeira?

Se você está dando os primeiros passos para atingir a sustentabilidade financeira com o seu negócio, saiba que um dos pontos principais desse momento inicial é o conhecimento sobre o fluxo financeiro da empresa.

É essencial que você saiba qual é o ponto de equilíbrio, ou seja, quanto é preciso faturar para que as empresas paguem todos os seus custos sem operar no vermelho. 

A partir daí, é possível criar planos para ter o faturamento necessário e, em seguida, aumentar essa receita a ponto de conseguir construir uma reserva de emergência e ainda gerar lucro para os investidores.

Um ponto muito importante aqui é contar com especialistas na área. Assim, você garante que o trabalho está sendo feito por alguém que tem todo o conhecimento necessário para isso e sabe o que está fazendo.

Conte com a Agilize!

Nós somos a Agilize, primeira contabilidade online do Brasil, e podemos ajudar você a organizar suas contas para tingir a sustentabilidade financeira na empresa.

Os nossos especialistas trabalham para que o seu negócio esteja sempre em dia com a lei, garantindo a correta apuração de impostos e o envio de todas as obrigações para as autoridades fiscais.

Mas, além disso, eles também registram tudo o que acontece com a sua contabilidade na nossa plataforma, sempre de forma transparente e clara. E o melhor é que todas essas informações são automaticamente organizadas em relatórios que vão ajudar você a ter cada vez mais conhecimento sobre as suas finanças.

Assim, você tem uma gestão mais organizada e consegue tomar decisões orientadas por dados.

Para saber como podemos ajudar o seu negócio, é só clicar no banner abaixo para receber uma proposta personalizada!

Veja outros conteúdos selecionados para você!

  1. Como renegociar dívida com credores?
  2. Regime de Caixa e Regime de Competência: saiba como decidir!
  3. Planejamento tributário preventivo: o que é e como fazer