Desenvolvedor, Abra a Sua Empresa em Apenas 7 passos

Desenvolvedor, você deseja encontrar uma solução simples e rápida, que possibilite a abertura da sua empresa em um piscar de olhos?

Cá entre nós, somos da área de tecnologia. Assim, sei o quanto é importante para você otimizar o seu tempo e poder focar cada vez mais na sua atividade-fim.

Afinal, basicamente, nossa mentalidade gira em torno da organização de processos cuja finalidade visa facilitar ainda mais a nossa vida e também a dos nossos clientes, certo?

Portanto, convenhamos: estar alinhado à evolução tecnológica é algo fantástico, né?

No entanto, há algo melhor do que isso: encontrar alguém que compreenda a nossa forma de ver o mundo e nos ajude a resolver grandes problemas em apenas 1 toque. Não é incrível?

Isso me faz lembrar de quando tomei conhecimento do conceito de “algoritmo” e da sua importância para o mundo através de um professor.

Quem poderia imaginar que o conceito de organização de procedimentos com a finalidade de resolver um problema em um número finito de etapas iria explodir a minha mente e me causar uma reflexão profunda que, anos mais tarde, iria moldar a minha vida?

Ser o responsável por pensar a organização de processos é para poucos. Programar, promover o desenvolvimento de softwares responsáveis, muitas vezes, por causar revoluções sociais é algo especial.

Devo lhe confidenciar: desenvolver softwares, para mim, é como ter um superpoder. Portanto, como “grandes poderes geram grandes responsabilidades,” gosto de usar a minha habilidade para ajudar pessoas a tornarem as suas vidas ainda mais produtivas.

Dito isso, se você deseja descobrir o “algoritmo” que será capaz de resolver com precisão um grande problema chamado “abertura de empresa,” além de economizar tempo e dinheiro com a demasiada burocracia presente no Brasil, atente-se ao passo-a-passo que a 1° Contabilidade Online do país compartilhará contigo a seguir:

1° Passo: o Desenvolvedor Deverá Descobrir o que Não Pode Ser Feito

Você concorda comigo que descobrir o que não deverá ser feito antes de dar o 1° passo rumo ao sucesso irá economizar tempo, dinheiro e, além disso tudo, evitará stress desnecessário?

É um tanto óbvio isso, né? Porém, a verdade é que muitos se aventuram sem descobrir antecipadamente o mínimo viável para reduzir o seu risco. Portanto, devo frisar: empreender e estar alinhado com o sucesso, definitivamente, não é para amadores!

Grave isso, se deseja facilitar ainda mais a sua jornada empreendedora!

Dito isso, atente-se, pois compartilharei com você pontos importantíssimos seguir:

  • Você Não Pode Ser MEI;
  • A CNAE Errada Arruinará a Sua Empresa

Você Não Poderá Ser MEI

Se você ficou um tanto frustrado por saber que não poderá ser Microempreendedor Individual (MEI), saiba que o motivo disso faz todo sentido. Afinal, ser um Desenvolvedor de Softwares é atuar com competência de cunho intelectual ou científico.

Por isso, saiba que, aqueles profissionais que atuam com manutenção de computadores e instalação de redes, por exemplo, podem ser MEI justamente pela atividade exercida.

Portanto, essa é a deixa para o próximo ponto. Assim, não desgrude os olhos da tela!

A CNAE Errada Arruinará a Sua Empresa

Não cogite a possibilidade de desenvolver uma atividade e utilizar outra Classificação Nacional das Atividades Econômicas (CNAE) para isso. Afinal o CNAE é responsável por mostrar à Receita Federal, Administração Tributária e demais órgãos competentes a atividade exercida pela sua empresa.

O CNAE é um dos principais pontos a se considerar antes de optar pelo Regime Tributário ideal para seu empreendimento.

Por isso, se você não quer sofrer multas, perder a oportunidade de usufruir de determinados incentivos fiscais, nem contratos com clientes importantes e sérios, vá por mim: descubra o CNAE devido para a sua empresa.

Podemos lhe ajudar com isso!

6° Passo: Descubra o Valor a ser Pago através do Cálculo do Simples

2° Passo: Optar pelo Tipo de Empresa Ideal para o Desenvolvedor

Um ponto que será imprescindível para a consolidação da sua empresa será escolher a natureza jurídica ideal para a mesma. Assim, você já descobriu qual o tipo se adequa melhor ao seu atual momento?

Se a sua resposta for “não,” atente-se aos pontos a seguir:

  • Empresário Individual (EI);
  • Sociedade Limitada (Ltda.);
  • Sociedade Limitada Unipessoal (SLU);
  • Empresa Individual ou de Responsabilidade Limitada (EIRELI).

Empresário Individual (EI)

Nesse tipo, não há a possibilidade de ter sócios e, além disso, não há a necessidade de Contrato Social.

Vale ressaltar também que, se você optar por esse tipo jurídico, responderá ilimitadamente com o seu patrimônio pessoal.

Ademais, a receita auferida anual poderá chegar à R$ 360.000,00 e você não poderá contratar mais de 1 funcionário.

Sociedade Limitada (Ltda.)

Nesse caso, há a necessidade de 2 ou mais sócios. Além disso, a responsabilidade é limitada (como o próprio nome dá a entender) e é necessário elaborar o Contrato Social.

Sociedade Limitada Unipessoal (SLU)

Essa opção é similar à Sociedade Limitada. No entanto, o que as diferenciam é que, nesse tipo jurídico, você não precisará de sócio. Caso queira saber mais sobre a SLU, veja: Sociedade Ltda Unipessoal, um marco no mundo dos Negócios.

Empresa Individual ou de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Permite a presença de apenas 1 sócio, onde a responsabilidade é limitada. Porém, para optar por essa natureza jurídica, você precisará de um capital social mínimo que corresponderá à 100 vezes o salário mínimo (referente ao salário do momento de registro da empresa).

Observação: optar pela natureza jurídica ideal para o seu negócio fará toda diferença, pois a mesma será responsável pela definição do Regime Tributário devido. Além disso, você deverá avaliar muito bem a escolha da sua CNAE também. Afinal, essa classificação será o ponto de partida para as demais definições da empresa.

3° Passo: Conheça os Tipos de Regime Tributário

Se há um ponto que mexe bastante com todo empreendedor, principalmente, no começo, é o Regime Tributário ideal para a empresa, não é mesmo?

Dessa forma, ao levar em consideração que vivemos em um dos países onde a carga tributária é uma das maiores do mundo, faz todo sentido buscar a orientação de quem entende sobre o assunto para, assim, minimizar seus riscos, certo?

Por isso, conheça os Tipos de Regime Tributário a seguir:

Lucro Presumido

  • Regime pautado na presunção do imposto que deverá ser pago;
  • Há um percentual pré-definido para determinadas atividades que servirá como base para o cálculo do tributo a ser pago;
  • A cobrança do tributo ocorrerá de forma trimestral.
  • Haverão alíquotas baixas para o PIS e a COFINS;
  • A tributação somente ocorrerá em parte do faturamento bruto para o IRPJ e CSLL;
  • Haverá vantagem tributária, caso o lucro seja menor que a presunção.
  • Se o lucro da empresa reduzir durante o ano, não haverá como ajustar a base de cálculo.

Lucro Real

  • Regime Tributário cuja complexidade é maior que a do Lucro Presumido;
  • Geralmente, é utilizado por empresas que auferem Renda Bruta Anual superior à R$ 78.000.000,00;
  • O cálculo da tributação será feito com base no Lucro Líquido, onde o IRPJ será de 15% para um lucro de até R$ 20.000,00 e, acima desse valor, será de 25%. Além disso, o percentual da CSLL será de 9%, 1,65% para o PIS e 7,6% para a COFINS.

Simples Nacional

  • Conhecido pela simplicidade do pagamento dos tributos através da sua guia (DAS);
  • Aderido geralmente por Micro e Pequenas empresas;
  • Empresas que podem aderir possuem um faturamento anual de até R$ 4.800.000,00;
  • A alíquota poderá variar de 4% à 19% conforme à atividade desenvolvida pela empresa.

Feita as devidas considerações, atente-se ao próximo tópico!

4° Passo: Descubra o Regime Tributário Mais Vantajoso para a Empresa

Aposto que, se você deseja abrir uma empresa na área de Desenvolvimento de Softwares, optar por um Regime Tributário simples que lhe traga economicidade, será o ideal, certo?

No entanto, de antemão, você precisará conhecer entre os códigos da CNAE quais poderão ser utilizados na sua atividade e, assim, deverá optar pelo Regime Tributário ideal.

Observação: uma empresa poderá ter mais de 1 código CNAE (Principal e Secundários). Porém, ambos devem possuir uma relação entre si.

Portanto, se levarmos em consideração que, após a análise da situação pelo timeda Agilize, a conclusão obtida estiver pautada no Regime Tributário do Simples Nacional, você deverá conhecer os Anexos a seguir:

  • Anexo I: Comércio;
  • Anexo II: Indústria;
  • Anexo III, IV e V: Serviços.

Os Anexos acima fazem parte do Regime Tributário do Simples Nacional. Assim, você deverá atentar-se aos Anexos III, IV e V, visto que a atividade de Desenvolvimento de Softwares é considerado Prestação de Serviço.

No entanto, devo chamar a sua atenção para a importância do código CNAE nesse caso. Afinal, será através do mesmo que você saberá qual o Anexo corresponderá à sua atividade.

5° Passo: Compreenda os Parâmetros para o Cálculo dos Tributos

Você quer aprender a calcular o valor tributário que deverá ser pago pela sua empresa de Desenvolvimento de Softwares, não é mesmo?

Então, atente-se às informações abaixo!

Após consultar os Anexos e perceber que aquele que se refere à sua atividade é o “V,” o próximo passo será avaliar se a sua empresa poderá fazer uso do recurso chamado “Fator-R.”

Você poderá se perguntar: mas, afinal, o que é Fator-R?

De forma rápida, o Fator-R é o cálculo realizado mensalmente para saber se uma empresa será tributada através do Anexo III ou V do Simples Nacional. Além disso, vale ressaltar que esse fator se refere à porcentagem do faturamento destinado aos gastos com folha de pagamento.

Assim, conheça a fórmula do Fator-R a seguir:

Fator-R = FP (Folha de Pagamento dos últimos 12 meses)/RB (Receita Bruta dos últimos 12 meses).

Portanto, quando o valor dessa razão for menor que 28%, a sua empresa pagará a alíquota devida de acordo com o Anexo V. Caso a razão seja maior que 28%, você efetuará o pagamento conforme o exposto no Anexo III.

Observação: a diferença entre as alíquotas do Anexo V e III é considerável. Assim, saiba que o Anexo III é bem mais em conta que o V. Por isso, vale a pena redobrar a atenção nesse ponto.

Para saber ainda mais sobre o Fator-R, não deixe de ler: Fator-R.

Após isso, aprenda a calcular o valor exato da sua contribuição no Regime Tributário do Simples Nacional no próximo tópico!

6° Passo: Descubra o Valor a ser Pago através do Cálculo do Simples

Você está preparado para dominar o cálculo referente à contribuição da atividade de Desenvolvimento de Softwares pelo Simples Nacional?

Se ainda estiver em dúvida quanto à resposta para essa pergunta, prepare-se para consolidar o seu conhecimento sobre esse assunto, agora, e sanar qualquer dúvida que, porventura, ainda exista.

Dito isso, imagine a seguinte situação: você seguiu o passo anterior (5° passo) e percebeu que a sua empresa poderá utilizar o Anexo III como referência.

Portanto, você poderá se questionar: e agora, como realizar o cálculo referente ao Simples Nacional?

Dessa forma, atente-se às etapas compartilhadas a seguir:

  1. Calcule a Receita Bruta dos 12 últimos meses;
  2. Multiplique esse valor pela Alíquota Nominal (conferir no Anexo);
  3. O Resultado será o “Valor Referencial I.” Diminua desse valor a “Parcela a Deduzir” que consta na respectiva faixa do Anexo;
  4. O Resultado obtido será o “Referencial II.”Esse valor será dividido pela Receita Bruta dos 12 últimos 12 meses (mesmo valor da 1° etapa);
  5. O Resultado será a “Alíquota Efetiva.” Portanto, você multiplicará esse percentual ao Faturamento do Mês em questão;
  6. O Resultado será o valor referente ao Simples Nacional que deverá ser pago.

Interessante, né?

Porém, quero facilitar ainda mais a sua vida. Por isso, não deixe de ver o último tópico. Saiba que a informação que tenho para compartilhar contigo revolucionará a sua empresa!

7° Passo: Implemente o Código que Revolucionará a Sua Empresa

Você percebeu o tanto de informações que precisam ser processadas para que consiga abrir a sua empresa de Desenvolvimento de Softwares e, ainda assim, obter economicidade?

Será que vale a pena, todo mês, você deixar de focar na sua atividade-fim e agregar valor para os seus clientes só para analisar as premissas e cálculos devidos do Regime Tributário da sua empresa?

Costumo frisar que “o tempo é o nosso maior ativo.”

Se vacilar, você, que trabalha com o Desenvolvimento de Softwares, e que, muito provavelmente, já virou noites imerso em trabalho, sabe tanto quanto eu sobre a importância do tempo nessa nossa área em particular.

Por isso, por saber que a nossa jornada é dura, compartilhei contigo o “algoritmo” capaz de otimizar a sua vida e torná-la um pouco mais simples. Porém, sinto que devo ir além e compartilhar o código que será capaz de revolucionar a sua empresa.

Portanto, se você identificou na sua empresa a necessidade de informações fidedignas, que lhe permitirão uma tomada de decisão assertiva, e, além disso, que serão capazes de gerar a economicidade desejada e consolidação do negócio ao longo da jornada, não perca tempo, clique aqui agora e descubra o código que será capaz de revolucionar o seu empreendimento!

Gostou do nosso artigo?

Deixe um comentário logo abaixo!

Assine a nossa newsletter, aproveite e siga-nos nas redes sociais!