DRE: um guia completo para o seu negócio!

Quem tem empresa sabe que precisa cumprir com algumas obrigações contábeis — uma delas é a DRE, declaração que deve ser emitida por quase todas as pessoas jurídicas. 

Além de ajudar a Receita Federal na fiscalização, a DRE também pode ser utilizada com fins gerenciais, ajudando os gestores a identificarem pontos fortes e fracos na situação financeira no negócio.

Quer conhecer melhor essa poderosa ferramenta? Continue lendo! Nós preparamos este post com tudo o que você precisa saber sobre ela — para que serve, quando e como emitir e muito mais!

O que é DRE?

DRE significa Demonstração do Resultado do Exercício. Esse documento é um relatório contábil que evidencia se as atividades da empresa estão trazendo lucro ou prejuízo. 

A DRE traz, de forma resumida, todas as operações realizadas pela empresa em um período de tempo — geralmente, ela se refere ao último ano de exercício.

Nessa demonstração contábil constam todas as receitas, despesas, investimentos e provisões da empresa. O objetivo é evidenciar a formação do resultado líquido no período analisado.

A emissão dessa demonstração é obrigatória para todas as empresas, com exceção de MEI. Ela deve ser feita anualmente, após o encerramento do ano-calendário, ou seja, o período entre janeiro e dezembro do ano anterior. 

Para que serve a DRE? Qual a importância da DRE para a empresa?

A DRE tem duas grandes serventias: prestar contas ao governo e ajudar a gerência da empresa a ter uma visão geral sobre a saúde financeira do negócio.

Essa demonstração contábil foi criada com o objetivo de mostrar ao governo de onde vem o lucro da empresa. Isso facilita a fiscalização por parte da Receita Federal e ajuda o órgão a localizar irregularidades. O governo utiliza o documento para checar se os impostos foram calculados de forma correta e faz a conferência de informações, comparando a DER com os lucros declarados pelos sócios em seus Impostos de Renda.

Para fins gerenciais, a DRE pode ser uma ferramenta poderosa. Afinal, ela traz dados sobre tudo o que entrou e saiu do caixa da empresa. A análise dessas informações ajuda o time a entender a real situação financeira do negócio e a tomar decisões com base em dados. Assim, as chances de fazer escolhas acertadas aumentam significativamente.

Podemos dizer, portanto, que a análise da DRE ajuda a empresa a cortar gastos, trabalhar com mais eficiência e, por consequência, aumentar o seu faturamento.

Além dessas duas principais utilizações, a DRE também pode ser aquele empurrãozinho que faltava para o empresário conseguir crédito e investimentos. Como ela demonstra a saúde financeira da empresa, costuma ser solicitada por bancos em casos de solicitação de crédito e por investidores, que analisam as finanças de uma empresa antes de fazer grandes aportes.

Empresário fazendo o DRE da sua empresa

Como fazer uma DRE? Preciso mesmo de um contador?

Talvez você não goste da notícia, mas sim, você precisa de um contador para fazer uma DRE. Isso acontece porque, segundo a lei nº6.404/1976, o documento deve ser assinado por um contador credenciado ao Conselho Federal de Contabilidade.

Mas nós também temos uma notícia boa: quem é cliente Agilize não precisa se preocupar com isso! Além de cuidar de toda a contabilidade da sua empresa, a gente oferece o serviço de emissão de DRE. E o melhor de tudo é que ele é realizado por contadores especializados em lidar com essa demonstração.

Para fazer uma DRE, você deve disponibilizar para um contador de confiança o relatório de todos os débitos, créditos, impostos e receitas ao longo do ano em questão. Por isso, é fundamental manter o controle financeiro da empresa sempre em dia, controlando e documentando todas as operações financeiras do negócio.

Assim, quando chegar a hora de emitir o documento, você não precisa correr atrás de todas essas informações de uma só vez. O hábito de controlar as finanças, além de evitar esse desespero, ainda ajuda você a não passar informações erradas para a contabilidade, o que pode gerar penalidades vinda da Receita Federal e atrapalhar a análise gerencial do relatório.

Depois de fornecer todas essas informações para o seu contador, você não precisa fazer mais nada. Os próximos passos do trabalho ficam por conta dele!

Como é a estrutura da DRE?

A estrutura básica da DRE não tem mistérios. A receita já está pronta — existe uma lista com todos os itens que devem fazer parte da demonstração. Conhecer cada um deles é fundamental para saber quais atividades devem ser documentadas ao longo do ano e entender o poder da análise desse documento.

Antes de falarmos aqui sobre os itens que fazem parte da estrutura da DRE, é importante lembrar que eles não são todos obrigatórios. A estrutura pode ser adaptada à realidade do seu negócio, isso quer dizer que você pode acrescentar ou retirar alguns deles conforme a sua necessidade.

Só não se esqueça de que, independentemente do seu ramo de atuação, quanto mais informações contidas no documento, melhor para você! Afinal, assim você tem mais dados para analisar e pode tomar decisões mais acertadas.

A estrutura da DRE pode conter:

  • Receita Bruta;
  • Tributos: Receita, Devoluções e Descontos;
  • Receita Líquida;
  • Custos dos Produtos Vendidos (CPV) ou Custo de Mercadorias Vendidas (CMV);
  • Lucro Bruto;
  • Despesas: Vendas, Gerais e Administrativas;
  • Lucro Operacional;
  • Resultado Financeiro;
  • Lucro Antes do Imposto de Renda;
  • Imposto de Renda e Contribuição Social sob Lucro Líquido;
  • Lucro Líquido.

Compare e veja a diferença entre a DRE e outros documentos

Além da DRE, o empreendedor deve emitir outras demonstrações contábeis que, assim como ela, servem tanto para fiscalização como para análise gerencial e tomada de decisões orientada por dados. Como esses documentos, muitas vezes, têm formatos e objetivos parecidos, algumas pessoas se confundem sobre a necessidade de emissão e serventia de cada uma delas.

Continue lendo para descobrir as diferenças entre a DRE e algumas outras demonstrações!

DRE x Fluxo de Caixa

O Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC) é um documento que permite o acompanhamento diário da situação financeira da empresa. Nele, constam dados como o saldo na conta bancária e projeções de entrada e saída de recursos. 

Ambos os documentos ajudam a gerência a acompanhar a situação financeira da empresa e tomar decisões, mas as declarações têm objetivos diferentes.

A DRE permite o acompanhamento periódico das finanças da empresa, enquanto o DFC é focado no acompanhamento de curto prazo.

DRE x Balanço Patrimonial

Assim como a DRE e o DFC, o Balanço Patrimonial é um relatório que indica a situação financeira do negócio de forma precisa. Ele faz um levantamento completo sobre todos os bens da empresa, assim como suas fontes de renda e investimentos.

Apesar de muitas similaridades, a DRE e o Balanço Patrimonial são dois documentos com objetivos distintos: o primeiro traz a relação de receitas e despesas, enquanto o segundo faz um levantamento de ativos e passivos.

DRE x Balancete

O balancete é um relatório que abrange todas as informações das contas da empresa em um determinado momento. O seu objetivo é verificar os saldos das contas e conferir se a soma dos saldos devedores é menor que a soma dos saldos credores.

A sua principal diferença para a DRE é que o Balancete não é uma demonstração obrigatória. na prática, ela é usada como um instrumento de controle interno, que pode ser elaborada conforme a necessidade da empresa.

De quanto em quanto tempo devo fazer uma DRE?

Agora que você já sabe o que é DRE e entende que essa demonstração é uma obrigação de muitas empresas, deve estar se perguntando sobre a periodicidade da emissão do documento. Segundo a lei, a DRE deve ser feita anualmente, sempre após o encerramento do ano-exercício.

Isso quer dizer que a DRE deve ser emitida, pelo menos, uma vez por ano, o que não significa que você não pode fazer o documento com mais frequência. Em algumas empresas, a DRE é emitida trimestralmente para fins gerenciais. Assim, os gestores têm acesso facilitado a informações atualizadas sobre o negócio e podem usá-las como base para tomada de decisões.

Conheça a Agilize Contabilidade Online

Como é impossível fazer a DRE sem um contador, é muito importante que você possa contar com profissionais experientes e confiáveis. E isso não falta aqui na Agilize!

Além de cuidar de todas as suas outras obrigações fiscais e contábeis, nosso time está disponível para elaborar a DRE e tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

Por isso, se você preza por qualidade, comprometimento e orçamentos personalizados, precisa conhecer a metodologia de trabalho da Agilize, empresa consolidada há mais de 7 anos no ramo contábil, com mais de 10.000 clientes satisfeitos. 

Conheça melhor os nossos serviços:

Entre em contato conosco para receber uma proposta personalizada, criada especialmente para o seu negócio! Você vai receber um e-mail com tudo explicadinho, do jeito que você merece!