Pessoa Física ou Jurídica – Descubra Qual a Escolha mais Inteligente

Pessoa Física ou Jurídica

Você resolveu empreender e, dado a escassez da circunstância atual, não sabe se a melhor decisão a tomar é ser pessoa física ou jurídica, certo?

Realmente, tomar a decisão mais inteligente dentre tantas outras opções não é algo fácil. Afinal, se você for um empreendedor de primeira viagem, decidir entre permanecer como Pessoa Física ou dar um passo mais robusto e se tornar Pessoa Jurídica exige uma análise criteriosa do seu custo de oportunidade.

Quando digo que escolher a opção mais inteligente não é fácil, me refiro à seguinte questão: fazer a melhor escolha, dentre tantas, é algo desafiador. É trabalhoso, pois demanda conhecimento, informação fidedigna para tomada de decisão e objetivos claros.

Dessa forma, escolher entre ser autônomo, profissional liberal ou uma empresa propriamente dita é o tipo de decisão que não se toma de forma impulsiva, no calor das emoções.

Assim, fazer projeções ao empreender, além de analisar de forma pragmática os seus objetivos, é algo imprescindível para uma tomada de decisão assertiva. Ou seja, se não deseja correr riscos desnecessários por falta de prudência, atente-se aos pontos que acabei de mencionar acima.

No entanto, conhecer cada opção é o primeiro passo para decidir, pessoa física ou jurídica, qual dessas será a melhor para o seu atual contexto.

Desse modo, a Agilize, 1° Contabilidade Online do Brasil, compartilhará com você os principais pontos sobre o tema em questão. Portanto, saiba que isso garantirá uma tomada de decisão assertiva para o seu empreendimento. Logo, fique ligado nos assuntos a seguir:

Pessoa física ou jurídica, o que é melhor?

Para saber se a escolha pela Pessoa Jurídica é mais interessante do que permanecer como Pessoa Física, você concorda que, primeiro, é necessário compreender muito bem os principais pontos que lhe levarão a constituir uma empresa?

Por isso, deixo a seguir as principais características a respeito da Pessoa Jurídica:

  • Não haverá vínculo empregatício com empresa contratante;
  • Haverá a necessidade do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
  • Deverá Emitir Notas Fiscais;
  • A responsabilidade do pagamento dos Impostos e Contribuição para o INSS é do próprio Prestador de Serviço;
  • A relação entre Pessoas Jurídicas (empresas) é geralmente bem flexível, ao contrário da reação do empregado com o empregador;
  • Não usufrui dos mesmos direitos de um empregado celetista (13°salário, férias remuneradas, aposentadoria);
  • Em caso de contratação, haverá a necessidade de um documento com detalhamento da relação entre as partes para salvaguardá-las.

Após analisar esses pontos, você consegue perceber que há inúmeros detalhes que devem ser levados em consideração antes de fazer o bom uso do seu Poder de Escolha e se tornar uma PJ?

Ou seja, analisar o cenário e as suas possibilidades de escolha, será determinante para que você possa tomar a decisão certa para o seu atual contexto.

Antes de passarmos para o próximo tópico, preciso fazer uma observação à respeito da sua escolha entre se manter PF ou se tornar PJ. Veja a seguir: enquanto Pessoa Jurídica, o campo de atuação do empreendedor que opta por esse caminho é amplo. Basta analisar a predileção do mercado por serviços prestados/aquisição de produtos onde procedimentos com emissão de nota fiscal e análise da Certidão Negativa, por exemplo, são solicitados.

Dito isso, atente-se ao tópico a seguir!

pessoa física ou jurídica lendo

Pessoa física ou jurídica, ser autônomo é melhor?

Diferentemente da Pessoa Jurídica, quais as principais características, ao se tornar Autônomo, farão toda diferença para que você possa tomar uma decisão assertiva?

Se você passou a refletir sobre essa questão, após ler o tópico anterior, você está no caminho certo. Ou seja, comparando o seu atual contexto em detrimento dos seus objetivos. Do contrário, agir sem essa análise, seria desconsiderar o seu Custo de Oportunidade e Trade Off.

A seguir, se deseja uma tomada de decisão assertiva, atente-se, pois compartilharei com você os pontos mais relevantes sobre se tornar um Autônomo:

  • Não possuir vínculo empregatício com empresa alguma;
  • Ser economicamente Independente. Assim, gozar das suas funções com plena liberdade, sem a necessidade de cumprir ordens;
  • Não há a necessidade de Certificado ou Qualificação para desempenhar as suas atividades;
  • Não é necessário possuir um CNPJ.

Agora, conheça as responsabilidades daquele trabalhador que opta por ser autônomo :

  • Autonomia profissional e financeira;
  • Não possuir o papel de funcionário efetivo;
  • Realizar o pagamento do seu Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e INSS;
  • Efetuar o pagamento dos seus carnês;
  • Realizar a declaração dos seus rendimentos todos os anos.

Reitero: ao analisar esses pontos, compare com bastante critério àqueles relacionados à Pessoa Jurídica. Assim, apenas ao correlacionar PF e PJ com o seu contexto é que conseguirá decidir de forma inteligente.

lendo sobre pessoa física ou jurídica.

Profissional Liberal – Vale a Pena ser Empregado de Diversas Empresas?

Ser profissional liberal é ter total liberdade frente às empresas contratantes?

Primeiramente, seguiremos a lógica dos tópicos anteriores para que você possa assim estabelecer uma comparação entre ambos os 3 (Pessoa Jurídica, Autônomo e Profissional Liberal). Dessa forma, deixo a seguir as principais características do Profissional Liberal:

  • Poderá ter vínculo empregatício com diversas empresas;
  • Deverá cumprir com os deveres de um empregado;
  • Usufruir dos benefícios da CLT.

Observação: para que possa atuar, esse tipo de profissional necessita ter qualificação formal. Assim, geralmente, há a representação desse profissional através dos conselhos. Um exemplo simples que retrata bem essa questão é a relação do advogado e o órgão representativo da sua classe (OAB).

Para complementar, conheça agora as responsabilidades de um Profissional Liberal:

  • Responsabilizar-se pelos erros cometidos nas empresas onde estiver atuando;
  • Pagar Tributos e Anuidades do Conselho Profissional (caso necessite);
  • Não precisa de CNPJ.

Agora, me responda o seguinte: você consegue perceber se há plena liberdade ou não na relação entre esse profissional e a empresa na qual o mesmo presta serviço?

Reflita bem sobre essa questão!

Dito isso, se deseja a partir dessas informações criar um ambiente favorável para que possa utilizar o seu Poder de Escolha com inteligência, não desgrude os olhos da tela! Atente-se ao próximo tópico!

Profissional Liberal - Vale a Pena ser Empregado de Diversas Empresas

PF ou PJ: Só Leia este tópico Se Quiser Ser Lembrado

Ao analisar Pessoa Jurídica, Física e suas nuances, você já imaginou o quanto seria frustrante investir seu tempo em algo sem consistência, que não deixasse a sua marca no mundo?

Infelizmente, o que mais vemos por aí são pessoas que vivem o que o escritor Robert Kiyosaki popularizou com o termo “Corrida dos Ratos.” Aquele ciclo sem fim, que leva você de “algum lugar à lugar algum.”

Assim, inúmeras pessoas vivem o paradigma da normose. Ou seja, deixam de viver os seus sonhos em detrimento daquilo que é taxado como normal. Logo, abdicam das suas realizações pessoais e independência. Dessa forma, aos poucos, acabam por desistir de si mesmas.

Dito isso, lhe pergunto: será que você analisou bem a sua escolha dentre as suas opções (Pessoa Física ou Jurídica)? Será que você tem feito o que, realmente, deseja? Será que a sua escolha deixará um legado para o mundo?

A depender do seu sonho, escolher entre PF ou PJ será preponderante para alinhá-lo aos seus objetivos. Portanto, estar em conformidade com o seu intento é imprescindível para obter o resultado desejado.

Por isso, se não vê a hora de ter a tão sonhada liberdade para compartilhar a sua proposta de valor com os outros, impactar pessoas, se diferenciar e, consequentemente, deixar a sua marca no mundo, toque aqui agora e descubra como fazer tudo isso com consistência, do jeito certo!