Fator R: o que é, como calcular e dicas para conseguir se enquadrar nele

Um dos maiores desafios do empreendedor é reduzir seus gastos e manter a qualidade do que oferece.
O assunto de hoje é o Fator R, e ele tem tudo a ver com isso!

Afinal, o regime tributário precisa de uma atenção especial se você deseja pagar a menor taxa de impostos que puder.
Certamente você sabe o quão pesada é a carga tributária para o empreendedor no país.

Por isso há a necessidade de que você tenha conhecimento sobre o regime de impostos apropriado e as questões mais importantes que envolvem cada um.

Você já ouviu falar sobre o Fator R? Sabe quando e o por que o mesmo foi criado? Conhece os seus benefícios?

Pois, pode ficar tranquilo que a gente ajudará você a entender tudo o que precisa saber sobre esse assunto, para que veja na prática se faz sentido para a sua realidade ou não.

O fator r é uma burocracia das boas.

Deixo logo abaixo as questões que reunimos para te explicar o Fator R. Nos acompanhe!

O que é o Fator R?

Primeiramente, você precisa entender o porquê de terem criado o Fator R para que assim entenda melhor como ele funciona.
Te contextualizando, saiba que para que empresas de prestação de serviços (cujas atividades fossem de natureza técnica, científica, artística ou cultural, desportiva, intelectual etc.) pudessem passar a optar pelo Simples Nacional, foi criado o Anexo VI, que justamente incluía tais atividades.
Veja alguns exemplos dessas atividades mencionadas acima:

  • Jornalismo, marketing e publicidade.
  • Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração.
  • Odontologia e prótese dentária.
  • Medicina e enfermagem.
  • Representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros.
  • Laboratórios de análises clínicas ou de patologia clínica.
  • Planejamento, criação, manutenção e atualização de páginas eletrônicas.
  • Desenvolvedor de softwares, inclusive jogos eletrônicos, licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação.
  • Academias de atividades físicas, desportivas, de natação e escolas de esportes.
  • Academias diversas (dança, capoeira etc).
  • Administração e locação de imóveis de terceiros.
  • Psicologia.
  • Fisioterapia.
  • Muito mais!
Dentistas fazem parte das atividades incluídas no cálculo do Fator R.
Pessoas fazendo a análise do Fator R.


Então, com o anexo IV sendo criado, essas atividades puderam fazer parte do Simples Nacional. Só que esse Anexo era o mais oneroso de todos, e muitas dessas empresas acabavam tendo uma carga alta e desproporcional de tributos.
Para você ter ideia: a primeira faixa correspondia a uma alíquota (um abatimento) de 16,95%.
Foi quando, em 2018, o anexo VI deixou de existir, e com isso as empresas dessas atividades passaram a fazer parte do Anexo V, que também é muito oneroso.
Percebendo a necessidade de haver taxas de impostos mais justas e proporcionais em relação ao faturamento dos negócios, algumas dessas atividades passaram a poder ser incluídas também no Anexo III e, dessa forma, pagam bem menos impostos.
Então foi esse o contexto que fez com que o empresário, hoje, possa tomar decisões que impactarão se ele pagará os impostos de acordo com o Anexo III (mais barato), ou com o Anexo V (mais caro).
Entendido tudo isso, saiba que o Fator R é justamente o “xis” da questão que diz se é para pagar com base no anexo III ou no V.
O Fator R é uma medida que possibilita que as atividades presentes no anexo V do Simples Nacional, possam pagar a tributação do anexo III, que é mais econômica, com base em um cálculo feito com a folha de pagamento e a receita bruta anual.
Na prática, é o Fator R lhe possibilitará a redução da sua carga de impostos, caso o seu negócio se enquadre em alguns requisitos.
O Fator R surgiu como uma medida adotada pelo governo com o intuito de ajudar os negócios a se recuperarem da crise econômica que enfrentamos de uns anos para cá.

Curioso para saber como realizar o cálculo que lhe possibilitará optar pelo Fator-R?
Atente-se ao próximo tópico!

Como fazer o cálculo do o Fator R

Ao analisar as taxas envolvidas nestes dois anexos do Simples Nacional, é natural que todo empresário deseje migrar do V para o III.
Só para você ter uma ideia, a alíquota da primeira faixa do Anexo V é de 15,50%, enquanto a do Anexo III é de 6%!
No entanto, será que isso será aplicável para o seu contexto? É preciso fazer o cálculo do Fator R e descobrir.
Aprenda a calcular o Fator R e, em seguida, analise o seu contexto para saber se é possível para a sua realidade.
Então, vamos ao passo a passo para entender o cálculo do Fator R:

  1. Tenha em mãos a sua folha de pagamento (pró-labore e FGTS).
  2. Obtenha o registro da Receita Bruta dos 12 meses anteriores ao período que será apurado.
  3. A fórmula é a seguinte:
    Fator R = Folha de Pagamento/Receita Bruta (12 meses)
O fator r é sinônimo de economia nos impostos para empresas do Simples Nacional.

Portanto, para descobrir o seu Fator R, divida o valor da sua Folha de Pagamento pela Receita Bruta dos últimos 12 meses. É simples assim.
Então, se o resultado for menor que 0,28 (28%), sua empresa deverá permanecer no Anexo V.
Entretanto, caso o percentual seja superior a 0,28 (28%), o anexo aplicado será o III!
A diferença a ser paga chega a ser de quase 10%.
Logo, não deixe a oportunidade de aproveitar o Fator R de lado, pois de mês em mês, a economia é muito grande no final das contas.

Vale a pena fazer esse cálculo com calma. Se necessário procure o auxílio de profissionais da área, contadores. A gente, particularmente, presta esse auxílio aos nossos clientes. Por isso é bom ter com quem contar!

Preparamos uma planilha para você!

Para aqueles que desejam manter o controle sobre o valor mínimo de folha de pagamento necessário para que sua empresa se mantenha no anexo III do simples nacional (com as novas diretrizes desde 2018), preparamos uma planilha, que pode ser acessada e baixada aqui: FATOR R PARA ANEXO V.

Ao abrir a planilha, siga as instruções deste vídeo:

Como tomar decisões que influenciam no Fator R, caso você queira aproveitá-lo

Sobre o Fator R, algumas observações devem ser feitas para que você possa entender meios de consegui-lo. São os bons e velhos macetes, aquelas dicas de quem entende do assunto.
Entenda uma coisa muito importante: o aumento da sua folha de pagamento pode reduzir os seus gastos.
Se você prestou atenção na lógica da fórmula do Fator R, deve ter percebido a relação entre a Folha de Pagamento e a Receita Bruta, não é?
Então, perceba que se você aumentar a sua folha de pagamentos, consequentemente aumentará o percentual do Fator R, e você pode ir ajustando isso justamente até atingir a faixa necessária para optar pelo Anexo III.

 



Sugerimos que você faça alguns cálculos de teste, aumentando a sua folha de pagamento e dividindo pela sua receita bruta (que será a mesma). Assim, perceberá na prática o percentual subindo, e conseguirá chegar ao que interessa:
Saber qual precisa ser o valor da sua folha de pagamento, para que quando ela seja dividida pela Receita Bruta dos últimos 12 meses, o resultado do cálculo (o Fator R) seja superior a 0,28 (28%).
Assim você pagará as taxas de impostos do anexo III!
Entendeu como usar isso a seu favor na prática?

Dicas para se enquadrar no Fator R

Você já entendeu que a diferença entre o Anexo III e o V é grande, e que aproveitar o Fator R será super econômico para seu controle financeiro empresarial através do pagamento de menos impostos.
Você já entendeu também que a folha de pagamento do seu negócio influencia diretamente em poder aproveitar ou não o Fator R.
Agora, trouxemos mais uma dica de ouro: lembre-se que o pró-labore dos sócios estão incluídos no cálculo da folha de pagamento!
Mas essa questão merece uma atenção especial, para você não correr o risco de aumentar o percentual de contribuição através do IRRF e INSS, por exemplo.
Por isso é importante que você tenha todas essas informações referentes ao seu negócio organizadas e à sua disposição. Para calcular o Fator R é imprescindível, como você pôde perceber.
Contar com profissionais da área e tecnologias que facilitam, como já mencionado, também é sempre uma excelente opção!

Principais perguntas que recebemos sobre o Fator R (respondidas para você!)

P: Se eu quiser manter a minha empresa no anexo III simples nacional, eu vou precisar estar atento ao fator R todo mês?

R: Sim. Para tanto, recomendamos o uso da planilha enviada para simular os valores necessários de folha para que sua empresa permaneça no anexo III no mês seguinte.

P: Verifiquei na tabela do Simples Nacional que minha atividade é tributada pelo anexo III simples nacional, devo me preocupar com o fator R?

R: Não. Neste caso o fator R não tem relevância e a tributação dessa atividade vai se dar pelo anexo III simples nacional.

P: Minha empresa tem 3 códigos CNAE. Um deles está no anexo III simples nacional, outro está no IV e outro está no V. Qual será a minha tributação?

R: Neste caso, a tributação será em função apenas dos CNAEs utilizados para emitir notas fiscais. Exemplo: Se esta empresa só utilizar o CNAE de Anexo III para emitir notas, sua tributação será sempre calculada com base na tabela do anexo III simples nacional.

Muito além do Fator R: se você está aqui, está no caminho certo

Entenda que, assim como com o Fator R, você não precisa esquentar a cabeça para aprender aquilo que deve ser feito, é justamente fazendo isso aqui (consumindo conteúdos) que, pouco a pouco, você vai colhendo as informações necessárias e vai aproveitando o que puder.
Tenha paciência com o seu aprendizado e não queira que tudo mude da noite para o dia.

 

Nesse sentido, queremos te dar 3 dicas que irão lhe ajudar nessa jornada:

  1. Inspire-se: leia livros sobre empreendedorismo que moldam o nosso modo de enxergar as coisas (para melhor!).
  2. Conheça mais sobre os Regimes Tributários.
  3. Esteja atento às inovações tecnológicas para aproveitar o que elas podem fazer de melhor por você!

Já conhece a Agilize?

Por fim, te convido a solicitar o nosso contato para receber uma proposta personalizada para a realidade do seu negócio. Somos um serviço de Contabilidade Online, feita por contadores através de um sistema digital que organiza e facilita o acesso às informações.

Você receberá tudo bem explicadinho, com prazos, valores, benefícios incluídos e tudo mais. Além do mais, o nosso time de atendimento é treinado e motivado a ajudar.

Fazemos questão de ter um papo diferenciado, com muita prestatividade para atender você da maneira que você merece.

Essas questões que envolvem o Simples Nacional e o Fator R, por exemplo, te auxiliamos do início ao fim!
Não perca tempo, fale com a gente! Solicite uma proposta logo abaixo!