Ativo Circulante e Não Circulante: entenda suas diferenças e a importância de uma gestão eficiente.

O balanço patrimonial de uma empresa é uma das suas principais demonstrações contábeis, que explicita a sua real situação financeira. Na hora de emitir esse documento, é preciso considerar todos os seus ativos e passivos, ou seja, os seus bens e suas dívidas.

Neste artigo, vamos falar especificamente sobre os ativos, que são os bens da empresa. Você vai saber o que é ativo circulante e não circulante, conferir exemplos e diferenças entre os dois, além de conhecer a sua importância para a saúde financeira da empresa.

Boa leitura!

Em primeiro lugar, o que é um ativo?

Como já falamos, o termo ativo se refere aos bens da empresa, ou seja, tudo o que é de seu direito. Aí entram bens como imóveis, automóveis e equipamentos, recursos e dinheiro (que a empresa tem em conta ou que irá receber futuramente).

Para calcular o valor dos ativos de uma empresa, deve-se considerar uma série de fatores — a conta bancária, patentes registradas, valor da marca no mercado, valores que ainda serão recebidos, etc.

Os ativos, como você já sabe, são divididos em duas categorias: ativo circulante e não circulante. Para saber mais sobre cada um deles, continue lendo!

O que é considerado ativo circulante?

A maneira mais simples de definir um ativo circulante é dizendo que ele é um bem ou recurso com maior liquidez. Isso quer dizer que o ativo circulante é aquele que pode ser rapidamente consumido ou convertido em dinheiro por meio de sua venda.

O ativo circulante é importante para o negócio pois é uma fonte de recursos financeiros que podem ser necessários para fazer a operação rodar e, em alguns casos, compensar as perdas que acontecem dentro da empresa.

Exemplos de ativo circulante

São considerados ativos circulantes:

  • dinheiro em caixa;
  • dinheiro na conta bancária;
  • aplicações financeiras de curto prazo;
  • contas a receber;
  • estoque;
  • matéria-prima;
  • mercadorias;
  • títulos.

Tipos de ativo circulante

Os ativos circulantes são divididos em três categorias e, a seguir, vamos mostrar cada uma delas.

Ativo circulante operacional

O ativo circulante operacional, como o nome indica, é aquele que representa os processos operacionais da empresa, ou seja, aqueles que são fundamentais para o seu funcionamento.

Aqui neste tipo entram valores de recebimento a curto prazo e o principal exemplo são as contas a receber relacionadas aos estoques e duplicatas. 

Existem outros bens que fazem parte da operação, como maquinários e equipamentos, mas, por não terem boa liquidez, não são considerados ativos circulantes. Mais para a frente, ainda neste conteúdo, falaremos sobre esse tipo de ativo!

Ativo circulante cíclico

O ativo circulante cíclico é aquele que é gerado nas atividades cotidianas da empresa e que têm influência direta na sua rotina. 

Por serem muito comuns, é normal que passem despercebidos pelo time, mas é importante que todos sejam registrados para evitar problemas na gestão financeira e nas declarações contábeis.

Os principais exemplos de ativos circulantes cíclicos são as mercadorias a serem vendidas, assim como adiantamentos de fornecedores, além de duplicatas a receber e pagamentos relacionados ao estoque.

Normalmente, o ativo circulante cíclico é usado para apagar os passivos, ou seja, as contas e dívidas da empresa.

Ativo circulante líquido

O ativo circulante líquido também é chamado de ativo financeiro e corresponde a todos os bens ganhos por meio de investimentos da empresa.

O ativo líquido pode ser circulante ou não circulante — depende do tempo necessário para que ele se transforme em dinheiro. Se esse prazo for menor que um ano, o ativo é considerado circulante.

Alguns exemplos de ativo circulante líquido são rendimentos de investimentos em fundos imobiliários, ações e títulos públicos e privados.

Ativo permanente

Ativo permanente já foi o nome dado ao grupo do balanço patrimonial relativo aos bens de natureza duradoura. No entanto, esse termo foi extinto no Brasil em 2008 pela Medida Provisória 449, que foi convertida na Lei 11.638/2007.

Com isso, o ativo permanente passou a ser chamado de ativo não circulante.

O que é ativo não circulante?

Para entender a diferença entre ativo circulante e não circulante, é preciso conhecer bem cada um dos conceitos. Por isso, agora vamos falar sobre o ativo não circulante, que é aquele de baixa liquidez, mas que, mesmo assim, é importante para a saúde financeira da empresa.

O ativo não circulante é aquele que precisa de mais tempo para ser transformado em dinheiro — seguindo a definição, para que um ativo seja considerado não circulante esse prazo deve ser superior a um ano.

Exemplos de ativos não circulantes

Os exemplos mais comuns de ativos não circulantes são bens imobilizados:

  • imóveis;
  • veículos;
  • máquinas;
  • equipamentos.

Os 4 tipos de ativo não circulante

Os ativos não circulantes são divididos em 4 categorias: realizável a longo prazo, investimento, imobilizável e intangível.

Ativo não circulante realizável a longo prazo

Todos os valores que uma empresa pode receber depois do término do período do balanço patrimonial pode ser considerado como realizável a longo prazo.

Alguns exemplos são empréstimos, aplicações financeiras, contratos de mútuo valor, recuperação de impostos, depósitos e duplicatas que a empresa receberá em um prazo superior a um ano.

Investimentos

Aqui entram os investimentos feitos pela empresa que não se destinam à especulação ou realização em curto prazo.

Normalmente, esses recursos são utilizados para gerar lucro a longo prazo ou para expansões futuras.

Alguns exemplos são investimentos em ações, commodities e criptomoedas.

Imobilizável

São ativos fixos e bens tangíveis que podem ser usados na operação da empresa. Aqui entram máquinas, equipamentos, móveis, utensílios e outras coisas que precisam ser incluídas no Balanço Patrimonial. Além disso, prédios, terrenos e veículos também são considerados bens imobilizados.

Uma das principais características dos ativos não circulantes imobilizáveis é que eles sofrem desgastes com o uso e estão vulneráveis à depreciação. Assim, seu valor diminui com o passar do tempo, seja por ação da natureza ou obsolescência.

Ativo intangível

Já os ativos não circulantes intangíveis são aqueles relacionados aos direitos da empresa, que não têm materialidade física. Apesar de não serem tangíveis, eles têm valor econômico e aumentam as vantagens competitivas do negócio.

Alguns exemplos são patentes, softwares e o valor da marca.

Diferenças entre o ativo circulante e não circulante

Depois de ler até aqui, você já deve ter percebido que a principal diferença entre ativo circulante e não circulante é a liquidez.

Enquanto o ativo circulante pode ser transformado em dinheiro em um curto prazo, o ativo não circulante é o bem que tem essa capacidade em longo prazo, ou seja, mais de um ano.

Outra diferença é que, na prática, os ativos circulantes são usados para pagar os passivos circulantes, que são pagamentos na mesma categoria — obrigações que devem ser pagas em até um ano.

Já os ativos não circulantes costumam ser usados para pagar passivos não circulantes, que são aqueles que podem ser liquidados em mais de um ano, como empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Qual a importância da gestão do ativo circulante e não circulante na saúde do seu negócio?

Fazer o Balanço Patrimonial e conhecer bem os ativos circulantes e não circulantes é fundamental para a saúde financeira da empresa. É a partir desse conhecimento que é possível fazer um diagnóstico realista e, a partir dele, tomar medidas necessárias para manter as contas equilibradas.

Quem tem empresa sabe que esse equilíbrio é crucial para a existência do negócio!

Independentemente do tamanho da empresa, é preciso fazer a gestão das finanças e um levantamento minucioso sobre todos os seus ativos e passivos, por mais complexa que a tarefa pareça. Afinal, sem conhecer os seus ativos e passivos, o gestor não tem como tomar decisões acertadas e de menor risco!

Principais dúvidas sobre ativo circulante e não circulante

Se você ainda tem alguma dúvida sobre ativo circulante e não circulante, confira as perguntas a seguir! Nós separamos as dúvidas mais comuns sobre o tema e trouxemos respostas bem objetivas!

Cliente é ativo circulante?

O cliente em si não é considerado um ativo circulante, mas sim as contas a receber dos clientes — que são um dos ativos mais importantes para a empresa. 

As contas a receber de clientes são aqueles valores referentes a vendas de mercadorias ou serviços, ou seja, da atividade-fim da empresa.

Estoque é ativo circulante?

Sim, o estoque é considerado um ativo circulante pelo fato de poder ser rapidamente transformado em dinheiro, por meio de sua venda.

Duplicatas a receber são ativo circulante?

Assim como o estoque, as duplicatas a receber também são consideradas um ativo circulante, pois têm alta liquidez.

Capital social é ativo circulante?

O capital social, dinheiro investido pelos sócios na abertura da empresa, é considerado, na verdade, patrimônio líquido.

O patrimônio líquido é o resultado dos ativos menos os passivos e corresponde à riqueza líquida da empresa.

Na prática, é o que resta de recursos após o cumprimento das obrigações financeiras. 

Como calcular ativo circulante?

Para saber quanto uma empresa tem de ativo circulante, é preciso somar os valores de todos aqueles exemplos que já citamos aqui:

  • dinheiro na conta;
  • contas a receber;
  • inventário;
  • estoque;
  • títulos negociáveis;
  • despesas antecipadas;
  • e qualquer bem que possa ser convertido em dinheiro no prazo máximo de um ano.

Conheça a Agilize

Contabilizar os ativos circulantes e não circulantes da empresa pode ser mesmo uma tarefa complexa. Mas, por ser de grande importância, ela não deve ser deixada de lado! Aqui na Agilize nós temos especialistas preparados para ajudar você a calcular tanto os ativos como os passivos do seu negócio, além de preparar o Balanço Patrimonial completo para o seu negócio.

Nós somos a primeira contabilidade online do Brasil e sempre estivemos ao lado do empreendedor! O nosso objetivo é descomplicar a contabilidade para você, para que sobre tempo para você colocar todas as suas energias o que realmente importa, que é o crescimento da sua empresa.

A gente pode ajudar você em todas as fases da sua empresa, desde a abertura até as declarações contábeis obrigatórias. Entre em contato conosco e solicite uma proposta personalizada para o seu negócio!

Você vai receber um e-mail com tudo bem explicadinho, do jeito que você merece!